Ministério muda versão de nota oficial sobre ataque a índios no Maranhão

Primeira versão dizia que o episódio envolvia ‘pequenos agricultores’ e ‘supostos indígenas’. A segunda se referia a ‘conflito agrário’. Segundo Cimi, ataque de fazendeiros deixou 13 índios feridos.


O Ministério da Justiça mudou o teor da nota oficial divulgada nestra segunda-feira (1º) sobre o ataque de um grupo de fazendeiros a uma comunidade indígena no Maranhão.
Na primeira versão, o ministério informava que o episódio envolvia “pequenos agricultores” e “supostos indígenas”. Na segunda versão, as duas expressões foram retiradas e substituídas por “conflito agrário”.
A assessoria do ministério informou que fez a mudança porque a pasta não conseguiu falar com a Fundação Nacional do Índio (Funai) para confirmar as informações sobre o que, de fato, havia ocorrido em Viana (MA), cidade localizada a 220 km de São Luís.
Segundo a assessoria, o ministério não tinha certeza sobre quem estava envolvido no conflito e, por isso, decidiu fazer uma nova versão da nota, mais genérica.
Ao G1, o presidente da Funai, Antônio Costa, disse que o órgão já foi notificado sobre o ataque aos indígenas Gamela e que, a partir desta terça (2), a procuradoria da fundação será acionada para acompanhar as investigações.
“Não é o primeiro ataque que o povo Gamela sofre. Os ânimos podem se acirrar mais ainda na região. O que a gente sabe é que foi um ataque por fazendeiros e uma milícia armada. Esse tipo de ataque já ocorreu várias vezes. Não temos nomes. Como estamos na fase de investigação, prefiro não citar [nomes de suspeitos]”, afirmou Costa. Segundo ele, é possível que haja mais índios feridos que podem ter fugido pelo mato.
De acordo com o Conselho Indigenista Missionário (Cimi), 13 pessoas ficaram feridas. Um índio, informou o Cimi, teve as mãos decepadas.
Segundo a Pastoral da Terra, os índios foram pegos de surpresa com a chegada de dezenas de homens à área. O grupo chegou com armas de fogo, pedaços de pau e facões.
“Eles invadiram e já foram atirando e tentando cercar a gente. Circularam para ficarmos no meio. Foi aí que só senti o impacto”, relatou um sobrevivente.
Segundo o Ministério da Justiça, o ministro Osmar Serraglio determinou o envio para o local de uma equipe da Polícia Federal para averiguar o caso e evitar mais conflitos.

As notas do ministério

A íntegra da primeira versão da nota divulgada pelo ministério:
Brasília, 1/5/17 – O Ministério da Justiça e Segurança Pública está averiguando o ocorrido envolvendo pequenos agricultores e supostos indígenas no povoado de Bahias, no Maranhão. Por determinação do ministro Osmar Serraglio, a Polícia Federal já enviou uma equipe para o local para evitar mais conflitos e ofereceu apoio à Secretaria de Segurança Pública que, por sua vez, já instaurou inquérito para investigar o caso.
A íntegra da segunda versão da nota do ministério:
Brasília, 1/5/17 – O Ministério da Justiça e Segurança Pública está averiguando o conflito agrário no povoado de Bahias, no Maranhão. Por determinação do ministro Osmar Serraglio, a Polícia Federal já enviou uma equipe para o local para evitar mais conflitos e ofereceu apoio à Secretaria de Segurança Pública que, por sua vez, já instaurou inquérito para investigar o caso.
Fonte: G1

Nenhum comentário